segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Federal pela Paraíba.


Ex-deputado federal por Pernambuco, o cantor gospel Negão Abençoado, que fez um grande show em Afogados da Ingazeira sábado passado, é candidato a um novo mandato na Câmara dos Deputados, mas desta vez pela Paraíba. Com um vozeirão lindíssimo, seus shows em praça pública arrastam multidões.

Fonte:Magno Martins

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Ladrões fogem de burro após roubar cofre da Câmara de Vereadores de São Cristóvão no Sergipe.

Na madrugada desta quinta-feira (25) moradores do município de São Cristóvão (22 km de Aracaju) se assustaram ao se deparar com um cofre abandonado em uma carroça. Segundo informações, o cofre foi deixado no local por indivíduos que invadiram a Câmara Municipal da cidade durante a madrugada, sendo que eles quebraram o vidro da Câmara e arrombaram duas portas para ter acesso ao prédio que fica anexo a uma loja do Banese Card. Os gatunos então resolveram levar um cofre, mas no momento em que colocavam o pesado cofre em uma carroça avistaram uma viatura da Polícia Militar que fazia rondas na região, no desespero os ladrões subiram em cima do burro, que estava amarrado na carroça, e fugiram deixando para trás a carroça e o cofre. De acordo com informações da polícia, pelo menos quatro pessoas participaram da tentativa de furto. O local possui circuito interno de câmeras que vão identificar os outros suspeitos que fugiram do local, antes que vocês pensem que o burro correu mais que a polícia, os dois assaltantes que estavam no animal foram alcançados e detidos em flagrante e levados para a delegacia do município. A polícia não informou o que tinha dentro do cofre.

Fonte: Plantão Policial / Blog do Diniz K

DIRETORIA DA ASSEMBLEIA DE DEUS MINISTÉRIO DO BELÉM.

Assembleia de Deus em São Paulo - Ministério do Belém - Desde 1927



Pastor Presidente
Pastor José Wellington Bezerra da Costa



Pastor Vice-Presidente
Pastor José Wellington Costa Junior



1º Secretário
Pastor José Pereira da Silva



2º Secretário
Pr. José Prado Veiga - Lapa/SP



3º Secretário
Pr. Alcindo Ramos



1º Tesoureiro
Pr. José Amaro da Silva



2º Tesoureiro
Pr. Paulo dos Santos



Secretário Adjunto
Pr. Alexandre Florêncio da Silva Junior



Coordenadora Geral do Departamento Feminino
Irmã Wanda Freire da Costa

AD comemora os 80 anos do Presidente da CGADB.


O pastor José Wellington Bezerra da Costa, presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), esta completando 80 anos de vida. Carismático, amado por toda denominação o líder é reconhecido em todo país e no exterior. Além da presidência da convenção geral, pastor Wellington é membro do comitê mundial das ADs, presidente da AD em São Paulo (IEADSP) e da Convenção das ADs no Estado de São Paulo (CONFRADESP). Além dele, sua esposa irmã Wanda Freire da Costa, com quem esta casado há 61 anos também completa idade nova.

Pastor José Wellington e sua esposa irmã Wanda.

Para comemorar a data tão especial, sob a direção do pastor José Wellington Costa Junior, no próximo sábado, 27 de setembro, à partir das 18h, no futuro templo-sede da AD Belenzinho que está em fase de acabamento, sito a Rua Doutor Fomm, nº. 140 com a Rua João Tobias, nº. 271, Belenzinho (SP), um grande culto em ação de graças será oferecido ao Senhor pela vida do casal que há 60 anos se dedica a Igreja do Belém.

Membros da diretoria, presidentes de conselhos e comissões da CGADB; caravanas do interior do estado de São Paulo e de Mato Grosso, Rio de Janeiro e Ceará; presidentes de convenções regionais e presidentes de ministério já confirmaram presença na festa do líder das Assembleias de Deus. Cerca de 5 mil pessoas são esperadas para celebração.


O novo templo-sede da AD no Belenzinho fica a 2km da estação Belém do metrô fazendo lateral com a avenida Radial Leste.

Por Tiago Bertulino.

Bebê chora e é encontrado ao lado do corpo da mãe dentro de bueiro.


Menina de um ano e oito meses foi encontrada ao lado do corpo da mãe, Paola Acosta, em caso que gerou repercussão no país
Menina de um ano e oito meses foi encontrada ao lado do corpo da mãe, Paola Acosta, em caso que gerou repercussão no país.

O choro de uma criança de um ano e oito meses de idade ajudou a polícia a localizar o seu paradeiro e o de sua mãe, desaparecidas havia dias na província de Córdoba, na Argentina.
A menina, Martina, foi encontrada dentro de um bueiro ao lado do corpo da mãe, Paola Acosta, de 36 anos, segundo os moradores e a polícia local.
Elas estavam desaparecidas desde a noite da quarta-feira passada (17) e foram localizadas no último domingo (21) quando moradores ouviram os prantos da criança.
O caso causou comoção entre os argentinos e nesta quarta-feira (24) ainda continuava entre os temas mais comentados nas redes sociais.
A tia de Martina, Mariana Acosta, publicou uma foto da mão da criança apertando a dela no hospital onde a menina está recebendo tratamento pelas horas que passou em contato com água e lixo, ao lado do corpo de Paola.
De acordo com os médicos que a atenderam, ela sofreu “um quadro violento de hipotermia, além de fraturas e infecção decorrente do contato com água poluída”.

“Ela está consciente e com fome e devemos esperar para ver como seu quadro evolui. Até o momento está estável”, disse a médica do Hospital de Niños de Córdoba, Fernanda Marchetti, onde a menina está internada.
Detetives do caso afirmaram que “o mais provável” é que elas tenham sido levadas para o bueiro “muito depois” da morte de Paola. “A criança não teria resistido tanto tempo naquele lugar e alguém já teria ouvido seu choro”, disseram os investigadores à imprensa local.

Suspeito preso
De acordo com a polícia e a imprensa argentina, Paola tinha saído de casa com a criança nos braços para encontrar o ex-namorado, Gonzalo Lizarralde, para receber dele a pensão alimentícia.
No dia seguinte, os outros dois filhos de Paola, de 14 e 16 anos, afirmaram à polícia que as duas não tinham voltado para casa.
Lizarralde, que é pai de Martina, foi preso a pedido do promotor do caso. O advogado dele, Sebastián Maccari Gaido, disse aos jornalistas que seu cliente é inocente. “Ele entregou o dinheiro a ela e foi embora”, disse Maccari Gaido.
Parentes da vítima contaram à imprensa local que Lizarralde teve um namoro rápido com Paola. Exames recentes de DNA comprovaram que Martina era filha dele.
No fim de agosto, Lizarralde pagou a primeira parcela da pensão alimentícia e na quarta-feira, quando Paola e a filha sumiram, Lizarralde deveria pagar a segunda parte.

Crimes passionais
O caso gerou manifestações públicas e colocou novamente no foco das atenções os crimes passionais na Argentina, principalmente em Córdoba. De acordo com organizações dedicadas ao assunto, Paola foi a 10ª vítima fatal de violência de gênero na província.
A presidente da ONG Casa del Encuentro, Ada Rico, que auxilia vítimas deste tipo de violência, disse à BBC Brasil que 1.256 mulheres foram vítimas fatais de violência de gênero entre 2008 e 2013.
“O caso de Paola não foi o pior que já vimos, mas, sem dúvida, o que nos causou a todos uma forte comoção pela crueldade. Crueldade de como ela foi deixada (morta) e de sua filhinha deixada durante horas em um bueiro. Foi crueldade demais”, afirmou Rica.

G1

Pastora Damares Alves leva despertamento para líderes religiosos em Alagoas.

Centenas de pessoas participaram nesta quinta-feira, 25, à noite, no Salão Hélio Vasconcelos, do Maceió Mar Hotel, do Simpósio de Conscientização Cristã. A palestra da advogada e pastora Damares Alves, reconhecida pela sua luta em prol dos princípios cristãos e pela facilidade em explicar temas complexos da área de Direito, levou despertamento para os participantes do simpósio.
Segundo Damares, foi criado em 2006 a Jornada Nacional em Defesa da Vida e da Família e, desde então, a advogada percorre todo o País, conscientizando e levando informação à população sobre políticas públicas, leis e decisões governamentais que estão sendo tomadas no País que afetam a família e a liberdade religiosa. "Nos últimos anos, Deus tem despertado a igreja para ter um olhar especial para esses temas, e isso tem me incentivado a continuar nessa luta", disse a pastora da Igreja do Evangelho Quadrangular.
Organizado pelo Fórum Evangélico Nacional de Ação Social e Política (Fenasp-AL), na presidência do pastor Geraldo Tenório, o simpósio contou com a participação do vice-presidente da Fenasp, Fred Estrela, do deputado estadual Jota Cavalcante e da deputada federal Rosinha da Adefal. Destaque também para a presença de vários líderes evangélicos, como os pastores assembleianos Arnóbio Tavares (AD Rio Largo), Joel Santana (AD Jequiá da Praia), Carlos (AD Mar Vermelho), Julio Petronio, Augusto e Valença (Maceió).
A palestrante Damares Alves segue hoje, 26, uma jornada para Salvador, Feira de Santana, Malhada das Pedras e Vitória da Conquista, na Bahia, depois Belo Horizonte-MG e Recife-PE. "Peço orações aos irmãos por que estou sendo muito perseguida por tratar desses temas, mas não desistirei dessa missão", disse ao final da palestra.

AD / Alagoas:Lílian Tourinho
novasdeesperanca@gmail.com
Guido Junior - Cortesia

É VERDADE.


SE ORAR E VIGIAR.

COISAS QUE A BÍBLIA NÃO DIZ - 2


NÃO DIZ QUE... A SUNAMITA FEZ CONFISSÃO POSITIVA

Para os seguidores do movimento triunfalista denominado confissão positiva, a mulher de Suném, ao declarar — diante de circunstâncias adversas — que tudo estava bem, teria usado o poder de suas próprias palavras para obter uma grande vitória (2 Rs 4.26). Afinal, se assim não ocorrera, segundo eles, teria sido da parte dela uma insanidade responder que estava "tudo em paz" (hb. shalom) sabendo que o próprio filho acabara de morrer (v.20).

Entretanto, ao ler todo o capítulo da passagem em apreço, constatamos que a sunamita era uma mulher de fé, haja vista ter dito ao seu marido: "Manda-me já um dos moços e uma das jumentas, para que eu corra ao homem de Deus e volte... Tudo vai bem" (vv. 22,23). Sua atitude assemelha-se à de Abraão, momentos antes do quase-sacrifício de seu filho: "Ficai-vos aqui com o jumento, e eu e o moço iremos até ali; e, havendo adorado, tornaremos a vós" (Gn 22.5).

Ter uma inabalável fé em Deus não é o mesmo que abraçar o triunfalismo. Confiar no Senhor é saber que Ele pode realizar grandes obras. Vemos isso no episódio envolvendo Ananias, Misael e Azarias (Dn 3). Ao serem ameaçados por Nabucodonosor, aqueles jovens disseram: "Eis que o nosso Deus, a quem nós servimos, é que nos pode livrar; ele nos livrará do forno de fogo ardente e da tua mão, ó rei" (v.17). A fé, por conseguinte, faz-nos orar ou falar com ousadia, porém isso não é confissão positiva (At 4.29-31).

Fonte:ebdareiabranca.com/

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

COISAS QUE A BÍBLIA NÃO DIZ.


NÃO DIZ QUE... CRENTE QUE TEM PROMESSA NÃO MORRE



Perguntaram-me, em um grande simpósio, se crente que tem promessa não morre. E eu dirigi outra pergunta ao auditório: "Quantos aqui têm promessas de Deus?" Todos levantaram as mãos. Então, lhes disse: "Bem, nesse caso, nenhum de vocês morrerá. Se Jesus demorar a voltar uns cem anos, ainda continuarão vivos, pois todos têm promessas".
Esse chavão anda de mãos dadas com outros clichês predestinalistas que não resistem a uma boa exegese. Afinal, se o Arrebatamento da Igreja não acontecer logo, todos nós morreremos, quer de uma forma, quer de outra. Basta lermos Hebreus 11 para sabermos que nem todas as promessas que aqueles heróis da fé abraçaram se cumpriram em suas vidas. A nossa maior promessa, aliás, é a de morar com Cristo, na glória (Fp 3.20,21; Tt 2.11-14).
Em Hebreus 11.39, menciona-se o seguinte acerca dos heróis da fé, fiéis ao Senhor Jesus até à morte: "E todos estes, tendo tido testemunho pela fé, não alcançaram a promessa". E o versículo 13 também diz: "Todos estes morreram na fé, sem terem recebido as promessas..." Pois é... aquele grande grupo de testemunhas, de verdadeiros servos de Deus, morreu sem ter alcançado as promessas! Somos melhores do que eles?
As promessas de Deus são verdadeiras, mas temos de levar em conta a condicionalidade de muitas delas (2 Cr 7.14,15; Is1.18-20; Dt 28.1,2). No dia de Pentecostes, a promessa do derramamento do Espírito Santo se cumpriu para cerca de 120 crentes (Lc 24.49; At 2). Se eles não tivessem ficado em oração, em Jerusalém, teriam recebido a promessa? Não foram mais de quinhentos irmãos que viram ao Cristo ressurreto, conforme 1 Coríntios 15.6? E os outros cerca de 380, não tinham a promessa? Sim, mas não estavam lá.
Segundo a Palavra de Deus, é possível sim morrer antes do tempo (Ec 7.17; Pv 10.27). Deus tira a vida de quem peca (Gn38.10; Pv 22.23; Ez 18.4). Essa história de que há um destino para cada um — e que só morremos quando chegar a hora predeterminada — não tem apoio bíblico. O fato de termos muitas promessas não garante que não morreremos até que se cumpram todas elas (1 Pe 1.24,25).
Muitos têm deixado de pensar nas coisas de cima (Cl 3.1,2), considerando que as promessas que recebemos por meio de profecia devem ser abraçadas cegamente, como se fossem a garantia de que jamais morreremos enquanto elas não se cumprirem. Que engano! Temos de viver como se o Arrebatamento fosse acontecer a qualquer momento (1 Co 15.51,52).
A frase em análise, portanto, é mais um "versículo novo". Ela não está registrada na Bíblia, tampouco a tese contida nela tem o apoio das Escrituras. Afinal, para Deus vivemos e para Ele também morreremos (Fp 1.21-23; Rm 8.38,39).
Fiquemos com a Palavra do Senhor, que diz: "Eia, agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã, iremos a tal cidade, e lá passaremos um ano, e contrataremos, e ganharemos. Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco e depois se desvanece. Em lugar do que devíeis dizer: Se o Senhor quiser, e se vivermos,faremos isto ou aquilo" (Tg 4.13-15).

Fonte:http://www.ebdareiabranca.com/

É VERDADE.

FAMÍLIA: O ELEMENTO BÁSICO DA IGREJA.



1. Sem a família a igreja não funciona. Não podemos ignorar a importância da igreja local junto à família, pois a saúde da igreja está diretamente ligada ao bem estar espiritual e moral da família. Uma igreja cujas famílias estão arruinadas espiritual e moralmente não terá condições de acolher os não crentes, nem terá autoridade para atuar junto à outras famílias na comunidade em que está inserida.

A família fortalecida na igreja é tão importante que o apóstolo Paulo aconselhou o pastor Timóteo a respeito da qualidade de um candidato ao episcopado. O apóstolo destaca a relação do aspirante com a própria família: “Convém, pois, que o bispo [...] governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia (porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus?)” (1Tm 3.2,4,5). Aqui, ele expressa o impacto do relacionamento familiar com a funcionalidade da igreja local. Famílias desgovernadas, inevitavelmente, geram uma igreja sem direção.

2. A família como extensão da igreja. Além de a família ser o elemento básico da funcionalidade da igreja local, ela é a própria extensão desta. Descrevendo a respeito do culto doméstico, o saudoso pastor Estevam Ângelo disse: “Se a família quiser assistir a sete cultos a mais por semana, fazendo o culto doméstico, terá uma igreja em casa”. É verdade! Além de cultuar a Deus, a família representará o reino divino na vizinhança, no bairro e no mundo. O próprio Jesus falou: “Porque onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles” (Mt 18.20). Portanto, podemos fazer de nossa família uma extensão da Igreja de Cristo e representar seu Reino neste mundo.


Pastor Elinaldo Renovato de Lima

Consciência política: o papel do Pastor e da Igreja.


O Brasil se prepara para as eleições. Em outubro, milhões de brasileiros irão às urnas para escolher os governantes e os legisladores do país. Diante de tamanha responsabilidade para com o futuro de nossa nação se faz necessário e imprescindível fazer uso da “consciência política”.

Na formação e articulação desta “consciência política”, o pastor tem papel preponderante. Como guia responsável pela orientação da igreja é sua missão alertar, informar e esclarecer a membresia. A igreja deve ser educada na doutrina bíblica e também sobre as questões debatidas no Congresso Nacional e Poder Executivo que afrontam o Evangelho de Cristo.

Apesar de a conscientização política estar florescendo, ainda existe na igreja, focos de resistência. Não poucos crentes são contrários ao envolvimento ou a posição pastoral em relação à política. Acreditam que a igreja não pode comprometer-se com o poder temporal sob o risco dos escândalos. Reconheço que existem líderes oportunistas desprovidos da ética que querem levar vantagens de ordem pessoal. Este comportamento deplorável acaba por expor a igreja à vergonha e ao escárnio público. Porém, não é por causa de uma ou mais frutas podres que vamos recusar a cesta toda.

Como a igreja està engatinhando neste mister, cabe ao pastor o uso de sabedoria, cautela, diplomacia e prudência. É importante levar em consideração o aspecto cultural e o grau de instrução da membresia. Suas conviccões devem ser ouvidas e respeitadas. Qualquer persuassão só pode ser levada em efeito sob a autoridade das Escrituras.

A conscientização deve partir do pressuposto que somos discípulos de Cristo e devemos andar como Ele andou (1Jo 2.6). Neste caso, é de bom alvitre, perguntar: “Em nossos passos, que faria Jesus?” Será que Cristo apoiaria partidos políticos envolvidos em corrupção e contrários aos valores cristãos? Será que Cristo votaria em candidatos ficha suja? Cristo faria aliança com políticos favoráveis à liberação da maconha, ao aborto e a homossexualidade? 

Cumpro com alegria a nobre missão de pastorear na capital do Brasil. A cultura da cidade é politizada. Os crentes estão familiarizados com as manobras políticas, Estão informados e atualizados com as questões politicas que envolvem ou afrontam a igreja. Como pastor, não tenho dificuldades em apontar o caminho do bom senso e da ética cristã. No entanto sou consciente que esta realidade não se coaduna entre os evangélicos distantes dos conflitos políticos.

Em virtude desta realidade, às vezes os cristãos ficam receosos de que a politização da igreja possa retardar o cumprimento das profecias. Eles perguntam com sincera preocupação: “Não está profetizado que a iniqüidade vai se multiplicar?”. Ao que respondo, alicerçado no Sermão da Montanha: “Sim, mas enquanto a igreja estiver na terra, temos que oferecer resistência à iniqüidade” (Mt 5.13,14).

Assim, para cumprir o seu papel e vencer suas batalhas a igreja deve estar consciente do confronto espiritual e dos ardis de Satanás. Não podemos ignorar que o mundo jaz no maligno (1Jo 5.19) e que temos o compromisso de ser o sal da terra (Mt 5.13). O mundo ainda não se afundou no lamaçal de miséria moral e na calamidade da insegurança por conta da forca restringidora do Espírito Santo que habita na igreja (2Ts 2.7).

É a igreja de Cristo que detém a espada do juízo divino sobre os moradores da terra. As advertências bíblicas sobre o papel do povo de Deus na restauração da nação incluem clamor e consagração: “Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra” (2Cr 7.14).

Como já escrevi em outra postagem, levanto a bandeira da conscientização política e do voto consciente. Sou favorável a mobilização evangélica e entendo que o Pastor deve divulgar sua posição coerente com o evangelho. No entanto, lembro que nossa luta não é contra a carne e o sangue (Ef 6.12).

As lideranças devem orientar e conscientizar a igreja politicamente. E ao mesmo tempo, precisam promover o despertamento e o avivamento espiritual. O avivamento liderado por John Wesley (1703-1791), por exemplo, trouxe radicais mudanças sociais na Inglaterra. É preciso ter consciência que o mal a ser combatido é o pecado. Quando a igreja passar a viver e priorizar integralmente os valores do evangelho então viveremos um tempo de mudanças.

Por isso, quando as mensagens nos púlpitos das igrejas deixarem de ser de auto-ajuda e o arrependimento voltar a ser pregado, então vidas serão transformadas. O Espírito Santo terá liberdade para convencer os ouvintes da verdade, da justiça e do juízo (Jo 16.8). Isto acontecerá quando a igreja se recusar a ser um clube de encontros e tornar-se um lugar de adoração. Pecados serão confessados e abandonados. A velha natureza será substituída. Haverá radical transformação e o caráter será revestido “do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade” (Ef 4.24).

Quando as lideranças deixarem de se preocupar com o crescimento numérico desprovido de qualidade. Quando a disputa por audiência ou por poder for deixada de lado. Quando os embates para conquistar igreja maior e mais rica forem abandonados. Quando o foco for ajustado para a unidade do corpo de Cristo (Jo 17.21). Quando os crentes começarem a viver para a glória de Deus (1Co 10.31). Quando a ortodoxia cristã for defendida e proclamada (Jd 1.3). Então será possível o verdadeiro avivamento espiritual. 


Deste modo nossa nação sofrerá transformações sociais e espirituais. Os crentes terão consciência de seu papel na terra. Jamais concordarão com erro e o pecado. Em hipótese alguma votarão em partidos ou políticos corruptos contrários ao evangelho. E acima de tudo o nome do Senhor será glorificado: “Tendo o vosso viver honesto entre os gentios; para que, naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, glorifiquem a Deus no dia da visitação, pelas boas obras que em vós observem”. (1Pe 2.12). Reflita acerca disto!

Pr. Douglas Baptista
Pastor Douglas Batista

Existe base bíblica para que os Adventista guardem o sábado?


Geralmente, os adventistas usam Apocalipse 14.12: “Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus”. Em seguida, perguntam: “Quais são os mandamentos de Deus? Não seriam os Dez Mandamentos escritos pelo dedo de Deus?”. Depois costumam ler Hebreus 4.1: “Temamos, portanto, que, sendo-nos deixada a promessa de entrar no descanso de Deus, suceda parecer que algum de vós tenha falhado”. E afirmam: “muitos professos cristãos têm falhado em guardar o sábado!”.
Devemos considerar alguns pontos antes de responder ao questionamento adventista.
Primeiramente, será que os adventistas guardam o sábado como a Bíblia ensina? Lemos em Deuteronômio (5.12-15) que o sábado deve ser guardado pelos israelitas, os seus filhos, os seus servos (empregados) e pelos visitantes. Contudo, antes de irem para o culto sabatino, os adventistas usam da água e da energia elétrica para o banho. O que estão fazendo? Lançando mão dos serviços de terceiros (servos). Também usam os veículos automotores (queima de combustível) e serviços de terceiros (motoristas e cobradores de ônibus, ou frentistas de postos de gasolina). Ao chegarem na Igreja Adventista do Sétimo Dia, usam da água (no toalete e nos bebedouros) e da energia elétrica distribuídas por alguma companhia (serviço de terceiros).
Ora, a Bíblia diz: “Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos” (Tg 2.10). Assim, já erraram e profanaram o sábado. Ainda que conseguissem guardar toda a lei, a salvação jamais virá pelas obras da lei: “Ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado” (Rm 3.20).
Conforme o escritor do livro de Hebreus, como alguns têm falhado em entrar no descanso? Por meio das obras de justificação! É exatamente pela tentativa de “guardar a lei” que o sabatista falha ao tentar repousar no Senhor do sábado! Cremos que Jesus é o único (não precisamos de outro evangelho) e suficiente salvador (Por Ele ser suficiente, não há necessidade de cerimoniais elaborados de guarda sabatina).
De acordo com a Bíblia, devemos mesmo é guardar os mandamentos: “Amados, não vos escrevo mandamento novo, senão mandamento antigo, o qual, desde o princípio, tivestes. Esse mandamento antigo é a palavra que ouvistes” (1Jo 2.7 – grifo do autor).
Fonte: Revista DF

A mulher do fluxo de sangue.

A-mulher-com-fluxo-de-sangue


Ações que levaram a mulher com o fluxo de sangue ao milagre que ela esperava.

Quando lemos o texto da mulher que tinha um fluxo de sangue havia 12 anos, em Lucas 8, dos versos 43 ao 48, imediatamente nos vem à mente o quanto aquela mulher devia ter fé. Sim, porque era a fé das pessoas que levava o Senhor Jesus a operar milagres. Várias vezes Ele mesmo dissera “vai, a tua fé te salvou”.
Mas será que aquela mulher despertou fé no exato momento que viu a Cristo Jesus ou aquela atitude foi sendo construída na vida dela. Mesmo que, nesse caso, não pareça que ela tivesse muito tempo de convivência com Jesus, ou talvez não tivesse quase nenhum tempo, houve um processo que a levou a tomar a decisão de tocar no vestido do Senhor.
Veja que nem todos tocavam. Certamente existiam muitos enfermos na multidão, mas nem todos tocavam em Cristo, nem todos criavam coragem para fazer isso.
Mas, então, o que essa mulher pode nos ensinar a respeito disso? Qual seria o ensinamento prático desse fato para nossas vidas como servos do Senhor?
Gostaria de destacar algumas verdades contidas no texto, que podem ser muito bem contextualizadas para a nossa realidade.
Hoje, mais do que nunca, o povo evangélico precisa retornar à Palavra que ilumina. Há muitos pregadores que, sinceramente, parecem animadores de auditório. Tem um que conta piadas, divulga crônicas motivacionais como se fossem dele, diz ser o pastor cheio de graça, tem um outro que fala besteira o tempo todo, para dizer que se identifica com jovens, tem de todo tipo. O que não se vê com facilidade hoje em dia são mensagens reveladas pelo Espírito Santo e que mexem com nossas entranhas transformando-nos e nos conduzindo para perto do Senhor. E porque isso está ocorrendo? Por que os pregadores de hoje estão misturando conceitos daquilo que é espiritual com aquilo que é da alma? No meu entender é porque se esqueceram da Palavra de Deus. Não se preocupam em deixar Deus iluminar e, para não serem rotulados de fracos pregadores, apelam para coisas que são boas para nossa alma.
Mas por qual motivo eu estou falando disso quando iniciei falando da mulher com o fluxo de sangue? Para apontar que Deus está nos revelando coisas tremendas e gloriosas em textos simples e históricos como é o dessa mulher. Nessa história, o Senhor nos ensina práticas que só nos fazem aproximar dele e derramam sua virtude sobre nossas vidas. Nós conseguimos extrair dEle o seu amor, conseguimos trazer da comunhão com Ele a virtude que nos transforma.
Ora, o que levou aquela mulher a tomar aquela decisão? Foi alguém que chegou até ela e gritou para que corresse atrás de Jesus e tocasse em sua orla? Não, não foi.
Em Marcos, quando se repete o mesmo fato, está mencionado que ela ouviu falar.(Mc 5.27). Ela ouviu falar dos milagres, ela ouviu falar do seu amor, ela ouviu falar do seu perdão, enfim, foi o ouvir falar que gerou vida dentro dela. Mas o que isso nos mostra? Observe o que Paulo escreve aos romanos no capítulo 10, verso 27: “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus”
Veja que a Bíblia nos dá o caminho para a fé. A palavra que nos orienta a todo o bom caminho nos ensina que a fé é pelo ouvir. Ouvir o que? Ouvir a PALAVRA. De algum modo, aquela mulher aplicou isso em sua vida. Ouvindo falar, nasceu fé naquele coração.
Você ouve pregações motivacionais, você ouve pregadores de avivamento que só falam besteiras, você ouve palestras sobre relacionamento pessoal, familiar, casamentos, enfim, você só tem ouvido o que não é PALAVRA. O segredo meu amigo é a PALAVRA. É essa fé que vem pelo ouvir que vai despertar em você um comportamento como o daquela mulher.
Fora isso, ela pensou para si mesma: “se tão somente eu tocar nas suas vestes serei curada”. Como essa verdade entrou nela? Porque alguém ensinou? Até pode ter ajudado, mas o fato é que ela ouviu falar e esse ouvir despertou nela a disposição para tomar uma atitude. Que coisa gloriosa. Essa é a palavra que leva pessoas a tocarem o Senhor.
Mas temos que aprender outros fundamentos que nos ensina esse texto. Quero destacar, além do ouvir e ouvir a PALAVRA e o PENSAR em algo para fazer, algumas verdades que podem fazer a diferença em sua vida caso você queira que saia virtude do Senhor a seu favor.
É necessário que você saia da multidão e se torne um discípulo de Cristo Jesus.
Eu vejo hoje as igrejas, os movimentos, as concentrações evangélicas que são noticiadas diariamente como uma grande multidão. No meio da multidão não existe virtude. No meio da multidão você jamais será discípulo. Veja que interessante: a multidão sempre o seguia. Era algo constante (Mat 4.25). A multidão gosta de se admirar das coisas de Deus. A multidão gosta de glorificar, de exaltar, ficam perplexos com o que Deus faz, mas ainda é multidão (Mat 7.28).
Eu, particularmente, acho essa característica da multidão uma coisa que se repete claramente nos dias de hoje. Como sou de origem pentecostal, e muito pentecostal, eu vejo hoje limpo, limpo, como essas práticas dos pentecostais, de modo geral, são características de quem está no meio da multidão. Se lermos em Mateus 9.8, vamos verificar que a multidão maravilhava-se e glorificava a Deus. Mas ainda era multidão. Não era discípulo. Que coisa tão triste. Quantos estão frequentando igrejas, pensando que servem a Deus em verdade, mas ainda estão na multidão. Fazem parte dos que estão mais afastados. São pessoas que possuem uma aparência perfeita de crentes, gritam aleluias, fazem movimentos, estão sempre nas igrejas com seus crachás, mas não atraem a virtude de Deus para suas vidas. Não conseguem tocar o Senhor. Como isso é triste.
Mas, na contrapartida, os discípulos, mesmo que com seus problemas e personalismos, eram os que sempre estavam próximos do Senhor (Mat 5.1). Um discípulo de Cristo nunca se afasta. Ele segue ao Senhor bem do ladinho do Senhor. Essa é a realidade da igreja? Em especial aqui no Brasil? Afirmo com toda a certeza profética que não. A igreja brasileira é uma igreja de multidão. Uma igreja que não conhece a Bíblia que usa e devia conhecer.
No evangelho de João, no capítulo 8, o Senhor nos ensina, no verso 31, que seremos discípulos se permanecermos na sua Palavra. Quantas vezes, em pregações, tive que explicar certas historinhas bíblicas para não deixar a plateia perder o contexto da pregação pelo fato de poucos saberem sobre o que eu queria que soubessem. Como exemplo, a história de Raabe, de Ester, de Naamã e muitos não sabiam. Aí, como pregador, tinha que explicar tudo de novo, para depois voltar à mensagem. Isso é muito triste. Mas como não sou de rodeios quando prego, quero dizer para você meu leitor. Você é discípulo do Senhor se a Palavra de Deus permanece em você. Se a palavra não está em você, você não é discípulo, é multidão. Por isso aquela mulher recebeu virtude. Ela deixou a multidão para se tornar uma discípula. Ela deixou o povo para ser alguém que estivesse próxima do Senhor.
Um discípulo também é aquele crente que dá fruto. Eu fico triste com o comportamento de certos irmãos. Quando estão na igreja é Jeová daqui, Jeová de lá, é pulinho aqui, pulinho lá, palavras bonitas e bem colocadas, mas tudo para impressionar a carne. Como diz Paulo em Colossenses 2.23: “As quais têm, na verdade, alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade, e em disciplina do corpo, mas não são de valor algum senão para a satisfação da carne.” Óh, Senhor, venha ter misericórdia de nós. Que palavra dura. Não servem para nada, a não ser para satisfazer a carne. E, a bem da verdade, quando estão fora da igreja, o testemunho é nulo. O fruto não existe. Não se engane meu irmão, você ainda é multidão!
O discípulo dá fruto.
Um discípulo é conhecido por Jesus como um amigo. Ele mesmo disse: “vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando”. (Jo 15.14)
Isso é forte. O amigo (o discípulo – o que está do lado) faz o que Ele manda. Como Jesus nos ordena? Pela PALAVRA. Não há outro modo (Heb 1.1). Mas a multidão já não obedece. Não tem esse compromisso de obediência ao Senhor. Daí, pode-se dizer quem é multidão e quem é discípulo.
A mulher do fluxo de sangue deu frutos de fé. Ela agiu por uma fé que podia fazer a diferença. Ela obedeceu à Palavra do Senhor.
Mas por que ela criou coragem? Como aquilo pode fazer com que ela deixasse tudo ali e fosse ao encontro de Cristo para tocar em suas vestes? Exatamente pela Palavra. E ela ainda declarou isso: “se eu tocar nas suas vestes”. Como ela podia ter essa certeza? Pela fé que o ouvir gerou nela. Como já citado, o texto em Marcos nos mostra que ela ouviu falar e foi. Ninguém pode receber do Senhor se não começar pela Palavra. É na Palavra que está a confiança, é pela Palavra que somos lavados, é pela Palavra que recebemos as promessas, logo, quem declara, quem fala, quem exerce sua fé só o faz segundo a Palavra. É por isso e por alguns outros motivos que não é a palavra que falamos que tem poder, como muitos já ensinaram e ensinam por aí. Não há poder em suas palavras e nunca haverá. Aprenda isso. Isso é doutrina de nova era, de esoterismo, de culto ao homem, do antropocentrismo, mas não doutrina bíblica. Até porque, se nossas palavras tivessem pode, a gente ia limpar todos os hospitais do Brasil, mandando os doentes para suas casas. Por que esses pregadores que ensinam isso não vão aos hospitais e saem curando todos os doentes lá? Por que a Palavra que tem PODER é a PALAVRA DE DEUS. Isso implica em dizer que quando digo palavras humanas nada acontece. Quando digo a palavra de Deus aí as coisas acontecem.
Todavia, como alguém vai pronunciar palavra de Deus sem, no mínimo, ler a Bíblia? Josué mesmo respondeu isso. Josué 1.8 nos mostra que se não meditarmos dia e noite na palavra de Deus ela não estará em nossas bocas. O que Deus quer de nós é que Suas palavras estejam em nossas bocas. Para que? Para usarmos em prol do seu reino e da sua obra na terra.

É pela palavra do Senhor que nascem nossas vitórias ou, também, nossas derrotas. Veja em Provérbios 12.18 e 18.20.
Para encerrar nossa meditação, quero enfatizar que, apesar de toda coragem e fé daquela mulher, ela só tirou virtude de Cristo Jesus quando tocou nEle. Mas esse ato foi gerado no coração dela. Ela pensou que se tocasse em Cristo seria curada. Houve algo dentro dela que trabalhou a fé. Essa é a diferença da fé da multidão para a fé do discípulo. Uma é emocional, vem de estímulos externos. A outra, ou seja, a que produz resultado, vem de dentro de nosso coração. É gerada pela Palavra enxertada em nós.
Se por um lado esse agir traz a virtude de Deus para nós, por outro produz óbices, produz inimigos. Ninguém queria saber da mulher. Saiba disso, toda vez que você mostrar que é discípulo e der frutos de discípulos alguém se levantará contra você. N
Lembre-se sempre disso: o que fez a mulher receber a virtude foi o fato de ter tocado no vestido de Jesus, não de ter ouvido ou pensado ou falado. Você pode ouvir, você pode crer em seu coração, você pode até falar sobre algo, mas se você não agir não acontecerá nada! Tiago 2.22: a fé sem obras é morta!

Fonte:CACP

POR QUE ALGUNS ADOLESCENTES E JOVENS MESMO TENDO PAIS CRISTÃOS NÃO QUEREM MAIS IR A IGREJA?


Volta e meia e ouço alguns pais reclamando que seus filhos não querem mais ir a igreja. Lamentavelmente são incontáveis o número daqueles que choram pelo fato de seus filhos não desejarem mais cultar ao Senhor no ajuntamento dos santos. Ora, eu não quero ser simplista, mesmo porque, bem sei que existem inúmeros fatores externos e internos que colaboram para que um jovem não queira ir a igreja, todavia, acredito que um dos motivos preponderantes esteja relacionado ao fato dos pais negligenciarem o culto ao Senhor. 

Quantos não são aqueles que faltam cultos para assistirem uma partida de futebol na televisão? Ou quantos não preferem ficar em casa devido ao cansaço ou a chuva que cai sobre sua cidade? Pois é. os motivos são os mais variados não é mesmo? Se não bastasse isso, existem alguns pais que justificam a sua ansência ao culto cristão pelos seguintes motivos:

É muito difícil levar um bebê para a igreja!
Meu bebê não se acostuma ficar no berçário e chora muito!
Você não imagina o quão complicado é arrumar uma crianca para sair de casa.
Coitadinha da criança, brincou o dia inteiro, não vou acordá-la para ir a igreja.
Meu filho faz muito barulho e não consigo controlá-lo, atrapalhando, assim, o culto!
Não consigo segurar meu filho comigo sentado na igreja e por isso prefiro não ir!
Tirar meu filho pré-adolescente da cama no domingo de manhã é algo impossível!
Meu filho não gosta de ir à igreja e não tenho como obrigá-lo!
Coitadinho, ir a igreja todo domingo é massante, afinal de contas ele é uma criança e precisa se divertir.
Caro leitor, eu também sei que o fato de levar os seus filhos dominicalmente aos culto não serve como garantia de que permancerão no Senhor, entretanto, o fato de demonstrarmos com nossas atitudes que amamos a Deus e que devido isso nos reunimos com outros cristãos para adorá-lo, ensinará as nossas crianças que na escala de valores Deus vem em primeiro lugar. Em contrapartida, quando damos escusas para não irmos a igreja, contribuimos para que os nossos filhos entendam que cultuar ao Senhor não é tão importante assim. As Escrituras nos ensinam que devemos ficar alegres por irmos a Casa do Senhor. (Salmos 122:01) Nos ensina também que devemos instruir a criança no caminho que deve andar e quando for velho não se desviará dele. ( Provérbios 22:06)

Ora, veja bem, o texto diz que a criança deve ser ensinada no CAMINHO, isto é, pais não somente ensinam o que fazer, mas fazem juntos. Portanto, se você deseja que os seus filhos cresçam, e andem nos caminhos do Senhor, dê o exemplo mostrando aos seus filhos que não existe nada mais importante do que servir ao Senhor.
Pense nisso, até porque, depois não adianta chorar pelo leite derramado.

Renato Vargens

5 RAZÕES BÁSICAS PORQUE OS HOMENS DESEJAM QUE DEUS ESTEJA MORTO.



Existem pessoas que se pudessem matariam a Deus. Na verdade, eu tenho visto um número considerado de indivíduos dizendo que Deus não existe ou que ele morreu. Para esses a inexistência de Deus tem sido defendida com unhas e dentes, mesmo porque, somente assim poderão justificar atos, atitudes e comportamentos emiscuidos de promiscuidade. 

Isto posto, elenco pelo menos cinco motivos porque os homens desejam que Deus esteja morto:

Se Deus não existe, também não existe lei, muito menos pecado, o que viabiliza como relativiza a prática de todo tipo de iniquidade. 
Se Deus não existe, não existe salvação, muito menos punição eterna. 
Se Deus não existe não existem valores morais e sim tabus que precisam ser quebrados. 
Se Deus não existe, deuses podem ser fabricados de acordo com as conveniências humanas, proporcionando assim que a criatura manipule o criador conforme suas crenças, vontades e pecados. 
Se Deus não existe tudo é válido, todo tipo tipo de pecado é justificável, todo tipo de imoralidade é permitida. 

Caro leitor, os que tentam matar a Deus cometem um erro grosseiro, até porque, o Deus revelado nas Escrituras existe sim! O criador vive eternamente! Seu Filho Jesus veio ao mundo, andou entre os homens, morreu numa cruz e ressuscitou dentre os mortos. Ele está vivo! Ele vai voltar e buscar sua igreja. Os que por ele forem salvos herdarão a vida eterna, já os que nele não creram sofrerão as consequencias de uma vida de pecados, trazendo sobre suas vidas o juízo de Deus. 

Compartilho do hino cristão que diz o hino: 
Porque Ele vive, posso crer no amanhã.
Porque Ele vive, temor não há.
Mas eu bem sei, eu sei, que a minha vida 
Está nas mãos do meu Jesus, que vivo está 
Deus enviou Seu Filho amado
Para morrer em meu lugar
Na cruz sofreu por meus pecados 
Mas o sepulcro vazio está porque Ele vive 
E quando, enfim, chegar a hora 
Em que a morte enfrentarei 
Sem medo, então, terei vitória 
Verei na Glória o meu Jesus que vivo está! 
Para terminar este post tomo emprestado as palavras do príncipe dos pregadores Charles Spurgeon: 
"Deus determinou um dia em que julgará o mundo, e suspiramos e choramos até que termine o reino da impiedade e dê descanso aos oprimidos. Irmãos, devemos pregar o vinda do Senhor, e pregá-Lo mais do que temos feito, porque é o poder do Evangelho. Muitos têm prendido estas verdades e assim o osso foi tirado do braço do Evangelho. Sua ponta foi quebrada; seu gume foi cegado. A doutrina do julgamento vindouro é poder pelo qual as pessoas são despertadas. Existe uma outra vida; O Senhor virá uma segunda vez; o julgamento chegará; a ira de Deus será revelada. Onde esta mensagem não é pregada, ouso dizer que o Evangelho não é pregado. É absolutamente necessário à pregação do Evangelho de Cristo que as pessoas sejam alertadas a respeito do que acontecerá se elas continuarem em seus pecados. Ôu, ôu, senhor cirurgião, o senhor é delicado demais para informar ao seu paciente que ele está doente! Espera curar os doentes sem eles tomarem conhecimento. Assim, o senhor os lisonjeia: e o que acontece? Eles riem do senhor e dançam sobre suas próprias covas. E finalmente morrem! Sua delicadeza é crueldade; suas lisonjas são veneno; o senhor é um assassino. Será que devemos manter as pessoas em um paraíso de mentira? Será que devemos adormecê-los em doces sonecas das quais apenas acordarão no inferno? Será que devemos nos tornar colaboradores para sua condenação através de nossas agradáveis conversas? Em nome de Deus, não!' 

Pense nisso,
Renato Vargens